domingo, 11 de setembro de 2016

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Opinião I "Dez dedos dez contos" da escritora Maria Alberta Menéres e João Henrique

Dez Dedos Dez Contos

Maria Alberta Menéres e João Henrique

Diponível:

Plano Nacional de Leitura - Biblioteca Digital

Editora:Raiz Editora/Lisboa Editora

N.º de Páginas 48 páginas

Editora:Raiz Editora/Lisboa Editora

Sinopse:

"Dez dedos dez segredos é uma das obras recomendadas no Plano Nacional de Leitura e pelas Metas Curriculares de Português para a educação literária, no 1.° ano. Era uma vez duas mãos que sabiam contar muitas histórias. Às vezes a mão esquerda começava uma E a mão direita acabava-a. Outras vezes era precisamente O contrário…"

Minha opinião:
Estou rendida às histórias da Biblioteca Digital. Este foi mais um livro infantil que me que ao contrário dos anteriores fez-me rir muito. Imaginem que li 10 histórias, cada uma contada por cada dedo da mão direita e da mão esquerda.
Este livro está enquadrado no plano de leitura para o 1.º ano, cada vez mais cedo as crianças têm de ler e tornar a leitura não uma obrigação mas um hábito que deve fazer parte do seu dia-a-dia.

Gostei muito, recomendo vivamente a todos uma consulta à biblioteca digital.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Boas leituras!

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A Vaca da Vizinha é mais gorda que a minha
Manuel Pires
Ilustação de Nuno Feijão
Plano Nacional de Leitura - Biblioteca Digital
N.º de Páginas 30 páginas
Sinopse:
"Eram duas crianças vizinhas, a Luísa e o Luís que tinha o mesmo padrinho. Um dia o seu padrinho Alberto ofereceu a cada uma das crianças um mealheiro em forma de vaca. Eles foram enchendo com moedas, e quando os pesam eles tinham o mesmo peso. Um dia o Luís começou a comer muitos doces e a sua vaquinha foi emagrecendo. Vendo que a vaquinha da Luísa estava mais gorda que a dele, resolveu para de comprar mais doces porque não queria que a sua vaquinha ficasse doente."

Minha opinião:
Estou rendida às histórias da Biblioteca Digital. Este foi mais um livro infantil que me encantou e fez-me pensar sobre o verdadeiro valor de incutir nas crianças o significado da poupança e do gasto desnecessário de dinheiro.

Gostei muito, recomendo vivamente a todos uma consulta à biblioteca digital.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Boas leituras!

Opinião I "O Dia em que o galo não acordou" da escritora Rosário Alçada Araújo

O dia em que o galo não acordou
Rosário Alçada Araújo
Ilustração: Júlio Ramos
Plano Nacional de leitura - Biblioteca Digital
N.º de páginas 28
Sinopse:
"Nesse dia, os animais não se atrapalharam minimamente, e «quando a Tia Maria e o Tio Júlio abriram a porta de casa, a quinta mais parecia uma festa de Carnaval». (pag. 15) Com efeito todos os animais se divertiam ao som do … Carnaval dos Animais."

Minha opinião:
"Adorei ler este livro infantil, foi como reviver a minha infância, e sabe tão bem;)
Um dia o galo da quinta não acordou logo não cantou, este facto vai criar uma autentica barafunda na quinta. 
Mais coitadinho do galo...porque será que ele não cantou?"

Adorei ler este livrinho, rendi-me aos seu maravilhossos encantos e regressei ao passado...

Classificação de 4 **** no Goodreads.
Boas leituras!

sábado, 3 de setembro de 2016

Opinião I "Um Certo Olhar" do escritor Luís Guimarães



Um Certo Olhar
Luís Guimarães
Editora: Palavra
N.º de páginas:94 páginas
1.º edição:junho de 2007
ISBN: 978 989 627 041 4
Este livro foi gentilmente emprestado por uma grande amiga.

Sinopse:
"Nós, os que partimos, somos ainda poucos. E de certa forma carregamos às costas, junto com a mochila, o peso dessa responsabilidade social de transmitir a novidade: vale a pena viajar. É bom, sabe bem, é construtivo e pode ser útil para o país. Por isso, fazem falta livros de viagem que transmitam essa novidade."
Gonçalo Cadilhe in Prefácio


Minha opinião:
Gostei da forma como Luís Guimarães nos transmite através do seu olhar a sua viagem ao Tibete e ao Nepal.
Este livro é uma complilação daquilo que Luís postou ao longo da sua viagem no seu blog, sem ter sofrido qualquer tipo de alteração. Talvez tenha sido por esse facto que ficou muito longe do que eu esperava. O que me deu a sensação foi que o escritor não tinha conhecimentos prévios sobre por exemplo o Nepal, às mantras ele chama de panos de várias cores e outros simbolismos budistas e indus ele fala de uma forma que me deixou um pouco desiludida. Isto deve-se ao facto de que normalmente antes de fazer uma viagem eu ter o cuidado de ler algo sobre o povo que vou conhecer e conviver.
Contudo, foi uma leitura agradável, gostei muito das fotos que ele colocou, deu para ver um pouco dos locais por onde o Luís passou.

Aconselho a leitura, contudo alerto que é o Olhar do escritor sobre os sítios por onde vai passando.
Classificação de 3*** no Goodreads.
Boas leituras!