terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Opinião I "O Crime do Padre Amaro" do escritor Eça de Queiroz

"O Crime do Padre Amaro"
Eça de Queiroz
N.º de páginas: 503 páginas
Sinopse:
«"O Crime do Padre Amaro" apareceu, pela primeira vez, em folhetins, na "Revista Ocidental", em 1875, surgindo em volume no ano seguinte. Sabe-se, no entanto, como Eça de Queiroz apurava de edição para edição as suas obras, alterando-lhes, por vezes substancialmente, o estilo, o enredo e a estrutura.

A fixação do texto e as notas desta edição de "O Crime do Padre Amaro", assim como de todos os títulos subsequentes, são da autoria da Sra. Dra. Helena Cidade Moura, especialista de reconhecido valor no âmbito dos estudos queirozianos. A versão tomada como base foi a de 1880, última revista pelo Autor.

Inclui-se também uma carta inédita de Antero de Quental, cujo manuscrito autógrafo incompleto se encontra na posse da Família Eça de Queiroz e que nos foi amavelmente facultado.» Retirado do site Wook
 
Minha opinião:
 
Este foi o primeiro livro que li deste escritor português tão falado e que não agrada a todos.
Entrei na leitura, sabendo já a história do livro pois já tinha visto duas adaptações cinematográficas do mesmo.
Confesso que comecei a leitura a "medo", isto porque, já tinha tentado ler o seu livro "Os Maias" e não tinha conseguido. Contudo, "O Crime do Padre Amaro" tem uma escrita muito mais "leve" e quando entrei na história não consegui largar mais a mesma.
Adorei o livro, Eça era sem sombra de dúvida um escritor muito à frente para a sua época, pois a abordagem de um romance entre um padre e uma mulher, por si só já é um tema polémico e quando envolve outros pontos igualmente polémicos só faz crer que estamos perante um dos melhores escritores do século XIX.
Agora compreendo melhor os motivos de este livro ser proibido antes do 25 de abril, apesar de não concordar, claro.
Não vou avançar com pormenores sobe o enredo do livro, pois já abri um pouco o leque, só gostava de referir que para quem já viu a adaptação cinematográfica, o livro é cem vezes melhor. Eça consegue agarrar o leitor, pelo menos a mim conseguiu. Com muita felicidade que  posso dizer que Eça de Queiroz passou a ser um dos meus escritores favoritos, agora quero ler mais sobre este escritor. Como tenho a coleção completa em casa já sei que mais cedo ou mais tarde vou ler outro livro do brilhante Eça de Queiroz.
Classificação de 5***** no Goodreads.
Boas leituras!


2 comentários:

  1. Já li a grande maioria das obras de ficção de Eça, praticamente gosto de todas mas elas são diferentes, há períodos mais de crítica social e política e outros mais otimistas. Entre os livros fáceis e de perspetiva positiva recomendo-lhe sem dúvida As cidades e as Serras. A ilustre casa de Ramires também é positivo, apesar de pelo meio ter um pouco mais de crítica social. Neste domínio e de pequena dimensão A Capital é mais pequeno que Os Maias e com menos paixão no seu conteúdo. O Conde de Abranhos é mesmo sátira forte mas muito divertido. Crítica religiosa forte, dura e não menos agressivo para com a religião A Relíquia. Bem estes são os que mais gosto e já não são poucos

    ResponderEliminar
  2. Olá Carla,
    Eu adoro Eça de Queirós.
    A cidade e as Serras é fabuloso, divertido, muito atual.
    Já li a obra quase toda de Eça falta-me a Ilustre casa de Ramires!
    Bjs

    ResponderEliminar